Alimentação e intolerância á lactose

Desde meus últimos posts,Matteo tinha sido introduzido ao mundo das papinhas á pouco tempo e tudo ainda era novidade. O pequeno ainda não tinha se acostumado,e os sabores salgados não eram seus preferidos.
Hoje em dia,com 10 meses,Matteo se tornou um verdadeiro furacão em relação á comida. Come de tudo e muito!
As papinhas vão se diferenciando á medida em que ele foi crescendo,os dentes surgindo,e a necessidade de consumir alimentos diferentes.
De 5 á 7 meses,Matteo comia papinhas beeeem amassadas,que consistiam em sua maioria de cenoura,nhoque,e batata. E sempre acompanhado de um suquinho de laranja lima que ele ADORA (toma sem nem parar para respirar,é sério..).
Dos 7 meses adiante,comecei a amassar cada vez menos as papinhas. Ele ainda não tinha dentes,mas conseguia fazer o movimento de mastigação. E fui acrescentando cada vez mais legumes e verduras nas papinhas,como abobrinha,vagem,mandioquinha,tomate...enfim. E acrescentei também frango desfiado,carne moída e sempre acompanhado de macarrão,aqueles de letrinhas,bem pequenos.
Ele me surpreendeu. Passou a comer mais de uma hora pra outra! Hoje com 10 meses ele consegue comer coisas em pedaços perfeitamente.
Consegue também ingerir sucos como o de abacaxi,maracujá e limão que são bastante ácidos. Fora as frutas que ele come sem nem fazer cara feia.
O problema dessa fase (9 meses adiante),é que tudo o que eles nos veem comendo,eles pedem. E no caso do Matteo não é um simples pedido,é um escândalo. Ou seja,se estamos comendo algo e não damos,pronto,é neném se jogando pra trás,berrando,esperniando e as lágrimas caindo. E você deve estar pensando “é só não dar!”...fácil falar,né?
Eu sou uma pessoa totalmente sem frescuras. Sei que muita gente vai querer criticar e dizer isso e aquilo,mas creio que o fato de dar um pouquinho disso e daquilo que você estiver comendo,com BOM SENSO,jamais vai fazer mal á criança. Quando ele pede,eu dou. Já meus pais são mais severos em relação á isso...me criticaram muitas vezes,mas eu não ligo. Acho que isso até ajudou Matteo,porque ele não tem frescuras com nada. Toma leite frio,come qualquer coisa,se não tem suquinho no almoço ele toma água e não faz gracinha. Vai crescer e vai comer de tudo!
Mesma coisa com papinhas da Nestlé. Minha mãe não dá em hipótese alguma e me recrimina até o fim quando dou,mas não vejo problema de dar em casos emergenciais,quando estamos no shopping,por exemplo.
É LÓGICO que não entupo meu filho de doces e guloseimas...mas quando ele me pede pão,bolacha de maisena,ou algo do tipo,eu dou um pedacinho e pronto,é instantâneo,ele fica feliz!
E como o título diz,intolerância a lactose. Bem,Matteo desde os 3,4 meses de vida desenvolveu uma alergia bem grossa na face e nos bracinhos. Levamos á pediatra e ela receitou diversas pomadas que não deram resultado,e por último um anti alérgico chamado Allegra que também não foi eficaz. No retorno á pediatra,ela nos contou que suspeitava de intolerância á lactose. Não solicitou exames porque disse que como Matteo é muito pequeno é difícil demais de detectar,e me propôs a troca do leite. Matteo estava tomando o Nestogeno 2,e eu as vezes alternava com leite de saquinho,pois ele nunca teve rejeição ou reação alguma com leite de vaca (o que me é muito estranho,pois deveria dar reações fortes nele se a intolerância realmente existe).
O leite indicado pela doutora chama-se Similac Sensitive, sem lactose,caro (só é encontrado em latas de 400g e custam em média 30 reais), difícil de achar, e Matteo gasta uma lata em menos de uma semana. Era só o que nos faltava. Mas para ver nosso tesouro bem,não medimos esforços.
Faz quase 2 meses que Matteo está tomando o Similac,e até hoje não vi melhoras significativas na alergia. O vermelhidão do rosto desapareceu,e agora as bolinhas são poucas. Mas o bracinho ainda continua todo empipocado...marcamos retorno na pediatra para ver qual será seu parecer.
Não sei se Matteo é realmente alérgico. Espero que não,pois senão ele terá tantas restrições alimentares. E pra uma criança isso é extremamente difícil.
E vocês,como lidam com a alimentação do bebê?
Beijos,Caroline.



Mãe solteira...e agora?

Minha relação nunca foi das mais estáveis. Sempre vivi entre altos e baixos com o pai do Matteo, e isso nunca foi segredo pra ninguém. Desde que decidi fazer da minha vida “um livro aberto” com o blog,passei a deixar muita gente a par da minha situação.
O fato é que nos separamos tantas vezes que até perdi a conta. E o fato é que sempre lidei com isso sozinha. E não é porque já estava acostumada com um relacionamento turbulento que deixou de ser difícil, ou que segui em frente como se nada tivesse acontecido.
Esse texto é pra você que está passando por uma situação em que não está com o pai da criança,está sozinha,ou seja lá o que você estiver passando.
Existem casos e casos. Em alguns,o pai será totalmente presente,mesmo não tendo uma relação afetiva com a mãe. Em outros,ele irá sumir e a responsabilidade recairá toda em você. E aí o apoio familiar é incondicional.

Meus pais sempre foram meu porto seguro. Tanto emocionalmente,tanto financeiramente. Estiveram lá por mim quando precisei,e até hoje são eles que seguram as pontas quando se trata de leite,fralda e despesas médicas. As minhas preocupações eram terminar meu ensino médio,para poder ingressar no curso de direito,para poder dar um futuro melhor pro meu filho.
E nunca é fácil separar a questão emocional,da questão da paternidade isolada. Eu demorei a entender que são duas coisas distintas. E não foi fácil chegar á um acordo. Foram preciso inúmeras brigas,meses de distância,e insistência da parte de ambos para que pudéssemos chegar numa relação mais amigável.
Hoje em dia meu filho passa os domingos na casa do pai. Sai por volta das 10h da manhã e volta no final da tarde. E ele ajuda com o que pode...da última vez,contribuiu com um pacote de fralda e uma lata de leite. Tudo isso na base da conversa.
Muitos me perguntam se vou entrar na justiça,e porque não faço isso. Bom,é simples. Quero evitar desgastes. E advogado é um gasto adicional. Prefiro manter tudo na conversa. Na minha experiência,quanto menos briga,melhor pra criança.
É difícil engolir tantos ressentimentos e mágoas quando se está chateada. Mas lembre-se que para gerar uma criança é preciso 2,portanto,a responsabilidade não é somente sua.
E quando me perguntam se meu coração não aperta de manda-lo para lá (ele já chegou a passar o fim de semana na casa do pai),eu digo que também tem seus pontos positivos. Ele fica a semana toda comigo,e quando passa o tempo com o pai,eu finalmente tiro o tempo pra mim. Vou repor as horas ml dormidas,ver aquele filminho que nunca dá porque o bebê e muito elétrico,pintar as unhas...Bem cuidado ele estará.
A questão sentimental é sempre a mais difícil. No fundo,ninguém quer uma família desfeita. Mas no final,a gente acaba se orgulhando quando olha pra trás e vê tudo o que fez. Você se sente ainda mais mulher...ainda mais mãe,por estar fazendo o papel de 2 com perfeição.

Sei que a realidade,hoje em dia,são de muitas meninas que não tem apoio nenhum,e eu já senti isso na pele por um tempo. Me sentia sozinha,desamparada,e que ninguém jamais iria me querer.
É besteira. Não existe isso. Sempre há pessoas dispostas,e de bom coração que entendem que a falta de responsabilidade de um pode gerar uma convivência ótima entre duas pessoas novas.
Procure se apoiar nos familiares,e amigos...e se houver a possibilidade,na conversa amigável com o pai de seu filho. É sempre o melhor caminho.
Lembre-se: existe ex-namorado,ex-ficante...nunca ex-pai.
Beijinhos,Caroline.


Reeducação alimentar,academia e metas



Desde antes de engravidar,e principalmente durante a gravidez,tudo o que eu pensava era: emagrecer,emagrecer,emagrecer. E realmente eu precisava. Um dos meus maiores dramas gravídicos foi o fato de eu ter engordado 13-14 kg nos 9 meses de gestação. Pensava nisso TODOS os dias,e sempre reclamava pra deus e o mundo que estava uma orca,porém não conseguia parar de comer minhas guloseimas diárias.
Enfim 6 meses passados do pós parto,resolvi tomar vergonha nessa minha carinha redonda de bolacha trakinas e resolver procurar uma academia (e novo). Falo isso porque em qualquer academia que eu entrava,pagava o plano mensal e desistia sempre na metade do caminho. Me entediava se não via resultados rápidos. Eu nunca fui magrinha,mas nunca fui gorda....porém sempre tive coxas grossas,mas não definidas. Meu objetivo era perder um pouco de peso e sempre definir. Agora,no pós-parto,meu pós parto não era tanto perder peso,pois após o nascimento de Matteo dei uma emagrecida drástica com a questão da amamentação. De fato,nunca fui tão magra. E meu corpo esteticamente está muito bonito. Porém MUITO flácido. E falo isso sem exageros,minha gente,porque ver por foto é uma coisa...não tenho coragem de me enfiar em um biquíni por enquanto (as estrias são um problema muito sério que logo menos falarei sobre).
Então dessa vez fiquei determinada REALMENTE á por meu corpo,e minha saúde no lugar. 
Aqui no bairro onde eu moro,é um bairro bem perto do centro da cidade,e não tinha academia...e a que foi construída recentemente era lotada de homens e com uma aparência pouco convidativa para mim. Resolvi ir fazer uma aula grátis da academia no clube de campo da cidade,bem próximo da minha casa. Fui toda animada,de bicicleta (coisa que nunca tinha feito era tirar a bicicleta da garagem,ainda mais pra enfrentar o trânsito frenético das avenidas),e resolvi encarar a maratona de musculação outra vez. Chegando lá,treininho básico...álias,já era mais de um ano longe dos aparelhos,dos pesos,das esteiras. Mas eu confesso que fiquei extremamente entediada. Academia pra mim é como um stand by. Eu fazia os exercícios mas minha mente tava lá longe...e a raiva e a vergonha que eu sentia de ter que ficar indo atrás do personal trainer toda maldita vez que terminava um exercício. Fiquei no máximo uma hora e meia nessa aula grátis. Peguei toda a papelada para matrícula e confecção da carteirinha,e prometi voltar no dia seguinte.
Porém no meu bairro havia aberto um studio de ginástica,com pilates,step,jump,localizada,axé,zumba e etc...e eu nunca tinha feito esse tipo de aula,e sempre morri de vontade de fazer. O horário da próxima aula era exatamente o horário em que cheguei do treino da academia,e como era a menos de 5 minutos de casa,resolvi fazer também uma aula experimental,e decidir por fim qual eu gostava mais.
A academia é o Studio Vanessa Costa,onde o lema é Ginástica de Resultados. Fui,e com muita timidez por não conhecer ninguém,mas por esse motivo logo me soltei. A aula que fiz foi zumba..e posso dizer que encontrei minha paixão por dança (que nunca tive),e vontade de malhar (que também nunca tive). Ah,nem preciso dizer qual foi minha escolha! No outro dia já fechei o plano mensal,3x na semana,quantas aulas eu quiser...por um precinho lindo de somente 70,00!
E tem mais: Lá tem um espaço kids para levar o filhote. Quando Matteo estiver em um tamanho bom,não precisarei depender de alguém para olhá-lo enquanto eu faço meus exercícios!
Essa é uma foto minha e de uma turma após a aula de zumba! Posso dizer que estou amando,e faço até 3 aulas seguidas...e olha,dá pra suar,e muito! Espero realmente obter condicionamento físico,porque minha diversão está sendo garantida!
E sobre fazer dietas,desisti. Já percebi que não consigo exigir demais de mim mesma em relação á comida. Resolvi pegar leve e ir tirando aos poucos. Como uma desintoxicação tranquila...
Então pouco a pouco estou tirando refrigerante,doces,salgadinhos,mas aos poucos mesmo....e tentando comer com uma frequência maior. De 3 em 3 horas,por exemplo. Só assim eu sei que consigo cumprir!
Minha meta por enquanto é só continuar indo as aulas e tirar essas tranqueiras da minha alimentação,o resto vem com esforço!....
O resto é tudo estética mesmo,infelizmente ainda tenho algumas estrias restante da gravidez no quadril e flacidez em alguns lugares,mas com força de vontade tudo muda!
Sei que muitas mães se descuidam quando o bebê nasce,ou muitas acham que o corpo jamais vai voltar o normal e fiz esse post pra incentivar vocês! Sei que é difícil,falta tempo,ficamos cansadas...mas meninas,vale muito a pena! Minha disposição ao sair da aula é imensa,durmo melhor,e é uma distração da rotina BEBÊ BEBÊ BEBÊ!....É preciso força de vontade e determinação,alias,não é porque você é mãe que tem que deixar os cuidados com si mesma de lado! Você merece,seu marido ou namorado agradece,e sua saúde também!
Beijo lindinhas,
Caroline.

A dica é: Homeopatia para bebês

Matteo sempre apresentou problemas no sono. Até os 3 meses,considerei normal. Depois disso,dizem que as crianças passam a dormir melhor. Não foi o caso aqui em casa. Estava entrando em total desespero...Matteo despertava de 15 em 15 min,com um forte choro,e não tinha o que o fizesse pegar em um sono pesado. Ficava sempre um caco pela manhã e sempre contava com alguém para cuidar dele na parte da manhã para que eu pudesse descansar.
Não sei como faria quando voltasse para a escola nesse estado. Tinha noites em que só faltava eu chorar de tanto estresse.
E o problema não parava por aí. De dia,Matteo também NÃO DORMIA! Ficava o dia todo manhoso,enjoado,chorando por tudo...e dormia no máximo 10 minutos no carrinho. E não,não era por falta de tentar fazê-lo dormir.
Relatei isso á pediatra,e ela me disse que eram os dentes. Não pensei que tivesse alguma coisa á ver,mas ela receitou Camomilina C,e disse para dar junto com algum chá,que resolveria a questão do sono. Eu corri feito uma doida na farmácia e comprei a bendita camomilina. 30 reais a caixa com 20 cápsulas.
Não via a hora de dar a chuquinha com chá ao Matteo,e dei. Resultado? Nenhum. Isso mesmo,nenhum. Nenhum sinal de sono melhorado,ou de irritação diminuída. Dei o remédio até as cápsulas acabarem,afinal,foi caro,mas não manti o tratamento. Pensei que se eu passasse,talvez,uma pomada diretamente na gengiva,já que aparentemente o problema eram os dentes,resolveria.
Corri na farmácia outra vez e comprei um tubinho de nenê dent. E o resultado? Nada,de novo. E o estresse,sono,e falta de paciência só se acumulando. E não falo só de mim,falo de Matteo também.
Na outra consulta a pediatra,relatei que nada tinha mudado e ela ficou preocupada tanto quanto eu. Disse que não era normal um bebê não dormir nem de dia,nem de noite. Me indicou que eu tentasse a homeopatia,que talvez desse resultado. Me indicou o dr. José Indiani. Marquei uma consulta no mesmo dia!
Pra quem não sabe,homeopatia é um tratamento feito com remédios naturais. Alopatia são os remédios normais que compramos na farmácia. Homeopatia não faz mal pra ninguém e há quem acredite que realmente faça muito efeito!
Marquei a consulta como minha última esperança,e fui. O dr. foi extremamente atencioso,e a consulta é demorada.
Eles fazem várias perguntas,algumas até pessoais,para conhecer o paciente á fundo e tentar descobrir de onde provém o problema.
Perguntou várias coisas...se Matteo tinha refluxo,se tinha sido cesárea,se ele se mexia durante o sono,como era minha relação com o pai dele,como era o ambiente de casa,se a dificuldade dele era de dormir ou de permanecer adormecido,enfim...Expliquei tudo direitinho para ele.
Ele disse que Matteo PODE SER desse jeito,nervoso e ansioso,pelo estresse que passei durante a gravidez com todas as brigas que tive com o pai do meu filho. Que isso se reflete não só no sono,mas em tudo que ele faz.
Receitou extrato de camomila,2 gotas,3x ao dia. Saí do consultório com o maior peso na consciência,e já passei na farmácia de manipulação e o frasco ficou pronto em 15 minutos.
Estava ansiosa para testar,e no primeiro dia o efeito foi HORRÍVEL. Matteo não dormiu nada! Pensei que tinha algo errado. No dia seguinte,a mesma coisa. E no terceiro,veio a maravilha: Matteo acordou somente uma vez,mamou,e dormiu. Acordou só 7h30 da manhã! E as sonecas da tarde? começaram a acontecer!
Dia após dia Matteo se mostrava mais tranquilo...claro que ele não virou um bebê quietíssimo,porque isso não é da personalidade dele,mas antes Matteo chorava O DIA INTEIRO,e agora era só quando ficava realmente injuriado com alguma coisa. Passou a tirar 2,3 sonecas no dia. Mesmo curtas,as tirava.
As noites não foram todos os dias sem interrupções,porém não posso nem comparar com antigamente. Matteo agora acorda,no máximo,2 ou 3 vezes. O que já é MUUUUUUUITO melhor que antes.
E agora o acostumei a permanecer no carrinho,e quando acorda,só ponho a mamadeira em sua boca. E assim tenho estado mais relaxada,e ele também.
E já notei também que se ele dorme melhor de dia,dorme melhor á noite. Então priorizo muito a sonneca diurna.
Continuei dando as gotinhas,até que o frasco acabou. Não sabia se era para continuar com as gotinhas,mas o ritmo dele não mudou sem as gotinhas. Então não sei até que ponto elas realmente ajudaram,ou se foi efeito do tempo...enfim.
Marquei uma outra consulta para ver se o tratamente continuará,ou mudará. Veremos. Sei que aparentemente,foi minha salvação.
E não foi caro! Um frasco pequeno como o que comprei para Matteo custou r$15,00.
E aí,quem mais trata ou já tratou seu pequeno com homeopatia?
Conta pra mim!
Beijinhos,Caroline.

Matteo e suas conquistas: Sustentação do pescoço e quase sentando sozinho!


Foi assim,puff,de um dia para o outro:meu bebezinho virou bebezão. 
Eu estava começando a ficar preocupada com o desenvolvimento dele. Ele ainda era muito molinho.Quando colocado de bruços,chorava e ficava com o rostinho enfiado no colchão. E claro,pro meu desespero,via várias mamães com filho da idade de Matteo postando fotos,orgulhosas,de seus bebês de bruços,com o pescoço levantadinho...e nada do meu! E aí começaram as minhas comparações mentais..."mas filho de fulana faz isso" "filho de fulana faz aquilo" "Matteo é atrasado" (tudo isso porque a pediatra dele disse que ele estava ótimo e era perfeitamente normal,aliás,ele era um bebê de 5 meses).
E não era por falta de incentivo. Sempre tentava colocá-lo de bruços,e nada. Sempre tentava sentá-lo,e nada,ele sempre caía para trás.
Até um dia,numa manhã,logo após ele acordar e assistirmos Galinha Pintadinha juntos no celular,ele começou a resmungar pra levantar da cama (odeia ficar deitado),e tive a brilhante ideia de cercá-lo de travesseiros e treiná-lo mais um pouquinho,quando de repente me deparo com a cena da foto! Matteo de pescoço erguido,gente. Fiquei numa emoção tão grande! Entre mil beijos,abraços e "parabéns filho" depois dessa foto,tentei sentá-lo...e não é que com um pouquinho de insistência o pequeno não sentou mesmo?!
Claro que ainda muito bambo,e caindo para os lados,mas ele realmente fazia força para se manter na posição,e pra levantar o pescoço. Morri de orgulho e tirei um montão de fotos,mas quando finalmente fui filmar ele começou a chorar.
Então foi assim,natural,sem forçar,que meu bebê foi aprendendo a conquistar cada vez mais sua independência!
Desde então,todo dia,procuro estimulá-lo um pouco. Não,não sou a favor de deixar a criança um tempão nessas posições enquanto ela ainda não está preparada totalmente,porque há um enorme esforço físico para elas,e é cansativo! Alias,quando Matteo passa muito tempo comigo tentando fazê-lo sentar-se totalmente ereto,chora. Imagino que deva doer as costas,ou até mesmo o pescoço,porque a cabeça deles pesa mais do que o corpinho.
O que tenho feito,basicamente,é o mesmo. O cerco de almoçadas,o seguro pelas mãozinhas,e o sento. Tem vezes em que ele pára e senta,outras se inclina muito pra frente e fica parecendo que vai beijar o chão,e tem outras em que se joga pra trás para cair e logo depois dá uma gargalhada gostosa. Faz parte.
Também tem vezes em que o coloco entre minhas pernas,sentado,e o prendo entre elas. Ele consegue um equilíbrio maior e consegue sustentar o pescoço por mais tempo.

Quanto á ficar de bruços,não dá pra forçar muito..ele simplesmente não gosta,fica nervoso. E enquanto á rolar,nem sinal ainda. É claro que eu incentivo,mas não adianta muito...é uma coisa que vai acontecendo naturalmente. 
Esses dias me surpreendi. Enquanto fui colocar água na banheira dele no chuveiro,quando voltei para o quarto,olhei para o berço e Matteo estava com o pacote de lenço umedecido nas mãos,sendo que o pacote estava ATRÁS dele. Fiquei pensando: "MAS COMO SERÁ QUE ELE PEGOU?!"...Bom,depois eu mesma vi ele realizando esse feito,ele vai virando todo o tronco para trás,e procurando com as mãozinhas. Então,o rolar deva vir logo.
Dizem que menina é sempre mais desenvolvida,e talvez seja verdade mesmo. Matteo está com quase 6 meses,e ainda batalhando para conseguir tudo isso. Meninas da idade dele já fazem tudo isso e as vezes até mais!
Mas o segredo aqui,pelo menos,é a paciência. Dou tempo ao tempo pra ele. E sempre tentando ensinar.
Agora ele aprendeu a ficar de pé e não gosta mais de ficar sentado:
Agora toda vez que tentamos sentá-lo,ele joga o corpinho para trás e firma os pezinhos na gente até levantarmos. E não é que ele fica durinho mesmo?! As perninas nem tremem! E ele só cede e se ajoelha quando realmente está cansado,mas não fica nem 3 segundos assim,já volta a ficar de pé novamente.
Antes eu estava extremamente ansiosa para que ele conquistasse de uma vez esses marcos tão importante,hoje eu já sou mais tranquila. Tudo passa tão rápido,e porque é que eu vou querer acelerar isso ainda mais?
Matteo aprende muita coisa em pouco tempo,e ao mesmo tempo me ensina muito também. Me ensina a ter paciência e aceitar as coisas como elas são.
Quem diria que aquele tiquinho de gente que saiu de dentro de mim com 3.080 e 58 cm se tornaria esse menino enorme,esperto,risonho e muuuuuito sapeca?!
E tem gente que ainda chama de erro...
eu chamo de presente.